terça-feira, 6 de setembro de 2011

Define 'fotógrafo profissional' / Define professional photographer

   O que é afinal um fotógrafo profissional? O que o distingue de um fotógrafo amador?A qualidade dos trabalhos? O facto de exercer a fotografia enquanto profissão? Ou quanto gastou com a sua máquina fotográfica?

   Quando reflicto nisto penso sempre que a última coisa que define um fotógrafo profissoinal é mesmo a máquina, até porque há bastantes fotógrafos que nem sequer usam digital, outros que simplesmente não têm capacidade para comprar uma máquina mais cara que uma D90. Ainda assim podem ser fotógrafos profissionais, certo?
   Frederico Erra (um de muitos exemplos), disse que começou a fazer trabalhos com uma compacta.
No entanto gostava de ver os fotógrafos amadores a chegarem perto sequer do seu trabalho!
Tantos outros fotógarafos que usam máquinas mais simples, não são todos que gastam 6000€ numa máquina!...
No entanto para participar no concurso Foto-Nikon 2011 para profissionais, segundo as regras para inscrição é preciso ter uma máquina D1, D2, D3, D700, D300, D200, D100, F100 ou F5:
www.nikonistas.com
   Aliás, os parâmetros de selecção das fotografias vencedoras também não são os melhores, a julgar pelas caracteristicas das fotos na mesma página. Hei, eu não faço parte do juri, mas na minha opinião deveriam ser mais rigorosos e selectivos, afinal esta é a imagem da Nikon, estas fotografias representam a Nikon.
   São estes os melhores resutados das melhores máquinas da Nikon, as mais caras, mais robustas e bem apetrechadas? Desculpem lá, mas acho que a minha D5000 faz melhor que isso. E conheço muitas outras máquinas para "consumidor" que conseguem melhores resultados.
Será possivel??? Sim, claro. Porque um bom fotógrafo pode fazer boas fotos com máquinas de linha inferior. Porque, mais importante ainda que as máquinas a esta altura da evolução da tecnologia, onde as maiores diferenças entre máquinas são a nível de software e não de desempenho, mais importante que isto são as objetivas, a criatividade e a capacidade do fotógrafo. A técnica e a estética unidas como um só ser vivo que cresce e evolui.

   Há dois dias vi dois "fotógrafos profissionais" a fotografar um casamento, um deles com uma máquina Nikon antiquada a disparar com o flash da máquina e a abastecê-la de pilhas entre sessões. O outro com uma D200 ou 300 e flash externo fez uma foto de grupo onde incluiu uma frente de um carro, um candeiro e um sinal de trânsito, que teriam saído facilmente com um zoom da obectiva (ou croop na edição) e um melhor posicionamento do grupo. Por isso não me venham dizer que é isso que define um fotógrafo profissional porque há por aí muitos fotógrafos "amadores" que apresentam melhores resultados mas que não têm oportunidade de mostrar o que valem, muitas vezes só por causa desta designação absurda.
   Ora aqui vai uma prova de uma paisagem captada por uma "fotógrafa amadora".
Não digo que seja melhor ou pior que algumas fotos que já tenho visto. Mas pelo menos não levo uma imagem HDR a vencer um 3º lugar num concurso, onde se vê uma linha espessa no horizonte, entre o céu e a terra. Ou outra com vestígios de uma marca de água colocada pelo programa que faz automáticamente o HDR (mas que não sendo comprado, coloca a sua marca de água), e onde se fez uma tentativa rude de se retirar a mesma.
   Ou uma outra que sobrexposta e com brilhos completamente rebentados, vence um 2º lugar.
   Ou tantas outras que se vê todos os dias, em revistas, na net, na rua.
   Ou em panfletos! Ontem reparei que o panfleto que serve de inscrição de uma conceituada perfumaria apresentava uma imagem de um olho bem maquilhado e enfeitado com penas de cores lindas, tudo parecia perfeito. Excepto o reflexo quadrado da softbox no olho. Foi preciso um workshop para eu aprender que nestes casos o reflexo deve ser sempre redondo (para ser natural) e para isso usa-se um beauty dish.
   Claro que a perfumaria não sabia disto. Tal como o juri de certos concursos também não tem capacidades para escolher uma foto vencedora. E na maior parte dos casos continua a valer o ditado do meu sogro:
-"Vale mais cair em graça que ser engraçado".

2 comentários:

annatheodoraphotography disse...

"Tal como o juri de certos concursos também não tem capacidades para escolher uma foto vencedora."

Concordo completamente. Já é frustrante lidar clientes que não sabem o que é uma foto de qualidade e contratam fotógrafos medíocres para fazer um trabalho porque cobram mais barato.

Mas depois de ver tantas fotos vencedoras horrendas, perdi as esperanças, não me pauto mais por esses concursos.

Mónica disse...

Concordo plenamente.
O problema é que para se ser "profissional" custa dinheiro, não necessáriamente para máquinas, mas para luzes, aparelhos para calibrar monitores, máquinas e impressoras, objectivas...
E os prémios são úteis nesse sentido. Deveriam servir para incentivar a evolução de um fotógrafo iniciado com potencial.

Mas ainda há outro problema, há muitos concursos que ficam com as fotos não premiadas (e direitos), ou seja, as fotos não são boas o suficiente para vencer, mas eles ficam com elas na mesma. Assim já não precisam de pagar a um fotógrafo quando quiserem determinado tipo de imagem, basta fazer um concurso temático!

E nós ao participarmos estamos a concordar com isto.
Actualmente escolho bem os concursos em que quero participar e este é um dos parâmetros fundamentais da minha escolha.